Zé Neto e Cristiano dizem que erros ensinaram, preferem 'trabalhar menos e ganhar menos' e cantam até Tonico e Tinoco



Uma máquina de repercussão em tudo o que fazem. Zé Neto e Cristiano estão no topo da música sertaneja desde 2016. O talento e a escolha acertada de repertório sempre com canções entre as mais tocadas do país fizeram da dupla um fenômeno de popularidade. Não por acaso, a chegada ao camarim é a mesma rotina de sempre: um mar de fãs, escolta e um enorme carisma dos dois cantores.

Mas, a máquina de repercussão nem sempre foi para o bem. Zé Neto e Cristiano passaram por problemas recentes na carreira, que foram de diferentes complicações de saúde até conflitos públicos e declarações polêmicas que provocaram críticas e causaram uma instabilidade na carreira que incomodou os dois.

A saída do maior escritório de música sertaneja do país foi mais um capítulo de uma fase de ruptura com velhos costumes. Livres dos percalços do último ano e com um projeto audiovisual que provocou um grande sucesso e já alçou "Oi, Balde" ao status de mais um hit da dupla, Zé Neto e Cristiano desembarcaram na Festa do Peão de Barretos na madrugada de sábado (19).

Em uma conversa exclusiva com o g1, os cantores fugiram dos padrões de entrevista em camarim e, durante um papo descontraído e com mais tempo que o comum, afirmaram viver o "melhor momento de carreira" após aprender com os erros, defenderam flexibilizar a rotina para passar mais tempo com a família, mesmo que isso implique em ganhar menos dinheiro, e quebraram totalmente o protocolo ao cantar o refrão de "Besta Ruana", um clássico da moda de viola de Tonico e Tinoco, gravada em 1949. 

"Sem dúvidas nenhuma, a gente vive o melhor momento da nossa carreira, mas bem longe do segundo lugar. Bem longe do segundo melhor momento nosso. De música, de trabalho, de família, de administração da carreira, está sendo incrível, muito leve trabalhar", disse Cristiano.

Fonte: G1