Maiara e Maraisa falam sobre empoderamento feminino após grande anúncio



A dupla sertaneja formada pelas irmãs Maiara e Maraisa estrelam a nova campanha publicitária da MRV e inclusive, escreveram uma música e fizeram um vídeo clipe no qual a construtora se inspira em histórias reais. Questionadas pelo site IG, elas responderam inclusive, sobre o fato de influenciarem outras mulheres no país e escolheram a realidade de uma mulher batalhadora como uma das preferidas dentre as que conheceram a partir da campanha.

"Representa muita gente: uma mulher batalhadora e que cria a filha sozinha, então é uma conquista que tem de ser muito valorizada", começou elas.

"São histórias reais, vividas por pessoas reais e que representam muito nosso país, além da lição de vida de todos eles", acrescentaram.

Em relação à realidade e dificuldades enfrentadas pelos brasileiros, Maiara e Maraisa contaram: "Acho que dificuldade é algo que nós brasileiros somos calejados. No meio de nosso caminho, encontramos muitas, só que ao mesmo tempo encontramos muito acolhimento. Como dizem, tem de fazer do limão uma limonada e não jogar fora porque tem pouco caldo".

Ainda sobre a contribuição para o empoderamento feminino, a dupla respondeu: "Nos sentimos não só honradas, mas também com uma responsabilidade muito grande. Levamos e carregamos mensagem, queremos que esta mensagem, força e determinação cheguem para incentivar e motivar outras mulheres".

"Mostrar que o mundo mudou e nós mulheres fazemos parte desta mudança. E não só na fala, mas nas atitudes, nas conquistas e realizações. Nós, mulheres, mudamos, temos voz, temos direitos e temos capacidade.", acrescentaram. Em relação à conquista de poder comprar o primeiro imóvel, elas afirmaram que não tem como descrever a sensação.

"Não tem sentimento que possa traduzir a sensação do primeiro imóvel comprado com o fruto do seu trabalho. No nosso caso, as primeiras pessoas em que pensamos em ajudar foram nossos pais e irmão. A gratidão de retribuir não só o que fizeram por nós, mas também por acreditarem na nossa vontade", concluíram.

Fonte: Uai